Coletronicos

Coletronicos
Coletronicos

segunda-feira, 7 de março de 2011

Uma visão geral sobre a carne vermelha, as aves e o peixe

 

 

Os alimentos dos grupos das carnes, aves e peixes são diferentes, mas têm algo importante em comum: a proteína. A quantidade e a qualidade da proteína variam nestes alimentos. Os alimentos de origem animal contêm proteína de alta qualidade ou completa, o que significa que fornecem todos os aminoácidos de que seu organismo precisa para construir a proteína necessária para sustentar as funções orgânicas.
Além da proteína, os alimentos desse grupo fornecem quantidades variadas de outros nutrientes fundamentais como ferro, zinco, magnésio, vitamina E e vitaminas do grupo B (tiamina, niacina e as vitaminas B6 e 12). A desvantagem é que alguns dos alimentos deste grupo contêm grandes quantidades de gordura, gordura saturada e, alguns, colesterol.

Exploraremos os benefícios de comer carne, aves e peixe com o objetivo de levar uma vida mais saudável. Alimentar-se de forma saudável fortalece seu organismo e pode ser uma alternativa de tratamento contra diversas doenças. Vamos começar revendo a quantidade suficiente para uma porção.




www.mypyramid.gov (em inglês) para ver qual a sua necessidade. Qualquer um dos seguintes itens contam como uma porção de 28 g do grupo:
  • 28 gramas de carne magra, frango ou peixe cozidos
  • 28 gramas de frios magros fatiados (peito de peru, presunto, carne ou mortadela)
  • 28 gramas de atum ou salmão enlatado, em água
Se você prefere carne vermelha, o principal é saber escolher o tipo certo e a maneira de prepará-la como parte de uma dieta saudável. Na próxima seção, estão disponíveis algumas dicas úteis e os benefícios do consumo da carne vermelha.
Quanto devo comer?
As orientações mais recentes do site do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, MyPyramid, recomendam 155 g de proteína para uma dieta de 2000 calorias por dia. Visite o site


Carne in vitro
Cientistas fabricam carne de porco em laboratório.

Pesquisa holandesa pode acrescentar linguiça in vitro ao cardápio em um ano.

Nenhum comentário:

Postar um comentário