sexta-feira, 4 de março de 2011

Turismo Ecológico parte 2


PARQUE ESTADUAL TURÍSTICO DA CANTAREIRA (PETAR) - SP

PARQUE ESTADUAL TURÍSTICO DA CANTAREIRA (PETAR) - SP

O Parque Estadual Turístico da Cantareira (criado pelo Decreto Estadual nº 41.626 de 1963) é uma Unidade de Conservação de Proteção Integral paulista que abrange parte da Serra da Cantareira (a maior floresta urbana nativa do mundo), tendo sido, como tal, tombado pela Unesco em 1994.

Está localizado na Zona Norte de São Paulo.

É um fragmento da Mata Atlântica com várias espécies de fauna e flora. A Serra da Cantareira foi batizada pelos tropeiros que faziam o comércio entre São Paulo e outras regiões do país, nos séculos XVI e XVII.

A grande quantidade de nascentes e córregos ali encontrados forneciam água, que era armazenada em cântaros (jarros para armazenar água) e, depois de cheios, eram colocados em prateleiras, as chamadas cantareiras.

Bicho preguiça

Oferece três trilhas
: a da Figueira com 700 metros, a Pedra Grande com 7 km e a da Bica com 1.500 metros.

Atualmente com 7.916,52 ha distribuídas por três municípios da Grande São Paulo, a área do Parque foi tombada no final do século XIX, para garantir o abastecimento de água para a cidade de São Paulo.

Irís

Desde a década de 1990 o Parque se encontra ameaçado pela especulação imobiliária, devido ao loteamento clandestino das áreas particulares contíguas, que facilita a formação de favelas no em torno e mesmo dentro da área do parque.

Tem quatro núcleos de visitação: Pedra Grande, Águas Claras, Engordador e Cabuçu.

Fauna
Bicho preguiça, bugio, veado-mateiro, preguiça, serelepe (ou caxinguelê), quati, jararaca, coral, suçuarana.

Flora
Samambaia-açu ou xaxim, hoje espécie ameaçada devido à exploração desenfreada. Figueira, que apresenta mais de 5000 espécies em todo o mundo, principalmente em climas tropicais. Devido à força de suas raízes, não aconselha-se plantá-la perto de edificações, com a certeza de trincas e rachaduras nas paredes.

Jacarandá-paulista, canela-incenso, embaúba, tapiá-mirim (árvore habitante principalmente de morros e montanhas, e sua madeira é muito utilizada na industria madereira), pau-jacaré (apresenta crescimento muito acelerado, chegando aos seus 90 m em 2 anos), palmito-doce (ou içara, ou palmeira, nativa da Mata Atlântica), açoita-cavalo, pasto-d'anta, cedro-rosa, bambu, araucária, helicônia, jequitibá-branco, vassourão-branco (ou vernonia), philodendros, cabreúva, pata-de-vaca (nome dado devido ao formato de suas folhas, circulares achatado), e bromélias (originária das Américas, de florestas tropicais, apresenta mais de 200 espécies).

Nenhum comentário:

Postar um comentário