terça-feira, 15 de março de 2011

Comportamento do banho



gato doméstico
© istockphoto.com / Pavel Sazonov
Banhos frequentes são outra característica dos gatos. A superfície espinhosa da língua felina age como uma escova que remove pelos soltos, parasitas e outros materiais estranhos à pele. A saliva que o gato passa de sua boca para sua pele contém proteínas que agem como condicionador dos pelos.

Infelizmente, a saliva também contém uma proteína que causa reações alérgicas em algumas pessoas. Alergistas aprenderam, recentemente que a maioria das quase 10% das pessoas que são alérgicas a gatos nos Estados Unidos, são alérgicas a esta proteína na saliva. Quando estas pessoas são expostas a pelos de gato soltos em uma sala, elas podem entrar em contato com a proteína e sofrer uma reação alérgica, como espirros, coriza ou dificuldade para respirar

Colisões entre o mundo felino e o mundo humano

De alguma forma, o comportamento natural de um gato combina com o estilo de vida de muitas famílias. A casa fica vazia na maior parte do dia, e isto é bom para os gatos, já que ele é geneticamente predisposto a ser solitário. Mas conviver com um gato de estimação também pode nos colocar frente a frente com alguns comportamentos que são normais para o gato selvagem, mas não são bem-vindos em nossas casas. Por exemplo, arranhar um ou dois troncos de madeira é perfeitamente normal para um gato selvagem vivendo ao ar livre.
Uma das razões desse comportamento é remover a camada gasta da unha, expondo uma nova garra por baixo desta. Este comportamento também permite que os gatos marquem seus territórios. Um gato arranhará uma ou mais árvores ou os seus arredores, e no processo de arranhar, ele esfrega secreções de suas patas no tronco da árvore. Isto dá à área arranhada um odor distinto que é reconhecido por outros gatos no território. Para manter sua marca territorial, o gato arranha repetidamente e renova as marcas visuais e químicas.

Gatos de estimação tem a mesma resposta instintiva de marcar um território. Assim como um gato que vive ao ar livre escolhe uma árvore proeminente, um gato doméstico escolhe um objeto proeminente, como um sofá ou uma cadeira. O gato doméstico também renova suas marcas arranhando o objeto repetidamente. Mas um gato doméstico que arranha mobília ou cortinas pode acabar saindo caro para o seu dono.

Treinando os gatos para que não arranhem móveis


gato doméstico
© istockphoto.com / Fielding Piepereit
 
 
 
Donos de gatos sempre ficam desapontados quando seus gatos ignoram o poste coberto com carpete como um poste que possa ser arranhado, e continuam a arranhar um sofá ou uma cadeira. Treinar um gato para parar de arranhar a mobília pode significar ter que remover o móvel danificado e substituí-lo por um objeto alternativo, como um poste para arranhar, no mesmo local proeminente.

Gatos gostam de arranhar em longas linhas verticais, então eles preferem postes que sejam revestidos com materiais cujas fibras sejam verticalmente orientadas. Os gatos também usarão postes feitos de pau-brasil ou pinho, se eles já forem desgastados antes com uma escova dura. Como os gatos gostam de ficar perto do local onde marcaram seu território, os donos acreditam que uma vez que os gatos tenham marcado o poste, ele possa ser movido para um lugar menos aparente.
 
 
 
 
 
 

Esguichadores problemáticos

Espalhar urina é outro comportamento normal dos gatos selvagens que tornou-se frustrante para os donos de gatos domésticos. Na natureza, este comportamento familiariza o gato com seu território e terreno. O odor da urina provavelmente faz com que ele se sinta seguro e confortável, e sinaliza a sua presença para outros gatos nos arredores.

A comportamentalista veterinária Leslie Cooper da Universidade da Califórnia, em Davis, descobriu em 1984, que 5% das gatas domésticas, e 10% dos gatos domésticos castrados começam a espalhar urina. O gato fareja um alvo cerca de um pé acima do chão, e então vira-se e dirige um jato de urina na direção do alvo. Machos e fêmeas que apresentam este comportamento tem a mesma postura, mas ele é mais comum entre os machos. Castrar gatos reduz bastante a ocorrência desse comportamento, mas mesmo os machos castrados e fêmeas podem destruir mobílias da casa ou alto-falantes com este comportamento.

Frequentemente, um gato de estimação começa a espalhar urina após um novo gato, adulto ou filhote, ser trazido para dentro da casa. O dono pode ter se confundido, pensando que o gato precisava de companhia, e trouxe outro animal para casa, apenas para descobrir que o gato não está nem um pouco animado com o novato. Nesta situação, o primeiro gato começa a espalhar urina por se sentir ansioso ou ameaçado pela invasão de seu território.

Nenhum comentário:

Postar um comentário