quarta-feira, 16 de março de 2011

Alimentação e reprodução

Estas aves são predadoras extremamente eficientes. Alguns estudos na Amazônia indicam que um indivíduo adulto pode caçar entre 250 e 300 animais (primatas, grandes aves e preguiças) por ano. São carnívoras, topo de cadeia alimentar e não têm nenhum inimigo natural, sendo ameaçadas apenas pelo homem. Com suas garras poderosas e sua grande força, a fêmea é capaz de capturar mamíferos de tamanho médio como um bicho-preguiça (Bradypus sp.) de até 6 kg ou então um macho adulto de macaco Bugio (Alouatta seniculus) com 6,5 kg, como observado no Acre. Além destas presas, a fêmea pode capturar macacos-prego (Cebus sp.) e filhotes de veado, entre outros. Já o macho, menor e mais ágil, captura presas menores e mais rápidas, como seriemas, tatus e cachorros-do-mato. Os espinhos dos ouriços (Coendou) não são empecilho para as harpias. Elas também podem se alimentar de cobras, moluscos, crustáceos, peixes e outras aves.

Até que a morte os separe



As solitárias harpias
Morley Read/Istock
As harpias têm hábitos solitários.


São aves monogâmicas que mantêm o mesmo par pela vida toda. Podem viver por 40 anos, e como começam a reproduzir por volta dos cinco, o relacionamento pode durar mais de 30 anos (mais do que muitos casamentos humanos). Não são aves sociais e vivem a maior parte do tempo isoladas, com exceção do período reprodutivo, quando formam casais. A área média de vida de cada ave, ou seja, a área necessária para cada ave sobreviver no ambiente natural é de aproximadamente 50 km² de floresta (ou 100 km² quando consideramos o casal). As fêmeas constroem seus ninhos em grandes árvores com no mínimo 25 m de altura podendo chegar aos 50 m (altura de um prédio de cerca de 18 andares!!!), o que permite que elas tenham uma visão de toda área ao redor. Os ninhos, com cerca de 1,20 m de diâmetro e 45 cm de altura, são feitos com galhos com até 1 m de comprimento e forrados com folhas e penas da própria ave para manter o filhote aquecido. O mesmo ninho é reformado e re-utilizado cada vez que um novo ciclo reprodutivo é iniciado (a cada nova postura).

As harpias põem dois ovos, mas apenas um dos filhotes sobrevive – o mais forte (geralmente o que nasce primeiro) acaba matando o mais fraco, processo conhecido como fratricídio. O filhote começa a ensaiar o vôo aos seis meses, porém necessita de cuidados dos adultos por mais um período de 6 a 10 meses. A vida reprodutiva desta ave inicia somente após 4 ou 5 anos de vida, quando o jovem adquire a plumagem adulta. O índice de crescimento da população é muito baixo (um filhote a cada dois ou três anos), e isto não significa que todos os filhotes vão chegar à maturidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário