terça-feira, 1 de março de 2011

Acusado de burlar leilão para exploração de petróleo recebe apoio de ativistas

Tim DeChristopher, 29, se declarou inocente das acusações de interferir e fazer declarações falsas em um leilão do governo
 
AP

Cerca de 400 ativistas ambientais marcharam hoje para a Corte Federal em Salt Lake City (Utah) em apoio a um homem que está sendo julgado esta semana sob a acusação de ter frustrado um leilão de locação de petróleo e gás em 2008 para chamar a atenção para as mudanças climáticas.

Na Corte Distrital dos EUA, Tim DeChristopher, 29, se declarou inocente das acusações de interferir e fazer declarações falsas em um leilão do governo, embora não conteste os fatos.

A selação do juri começou nesta segunda e o julgamento, adiado duas vezes, deve durar cera de quatro dias.

DeChristopher, que planeja testemunhar, chamou sua atitide de "um ato de desobediência civil" e disse que espera se condenado. Ele pode pegar até dez anos de prisão e ainda pode ter de pagar U$750 mil em multas se estiver certo quanto a seu destino.

Em 19 de dezembro de 2008, DeChristopher abocanhou 13 das locações colocadas em leilão, totalizando 9.105 hectares, em torno dos parques nacionais Arcos e Canyonlands.

O então estudante de economia da Universidade de Utah terminou com U$ 1,7 milhões em arrendamentos que não podia pagar, o que custou aos irados executivos do petróleo milhares de dólares em lances mais altos para as parcelas que restaram no leilão.

Ele se ofereceu posteriormente para pagar a conta levantando fundos pela internet, mas o governo recusopu a oferta. O réu afirma que o governo George W. Bush violou as leis ambientais ao invocar o leilão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário